Amor não se pede

Se há necessidade de pedir amor, carinho, atenção, o sentimento já não existe. Como pedir que quem quer que seja pense em nós, sinta nossa falta, nos priorize? Como esperar que alguém retribua o que sentimos se isso não for natural? Não dá…

Me irrito com quem pensa que palavras sem ações preenchem vazios… na alma, no sofá, nos vãos entre os dedos, na cama, na vida. Pode ser a melhor das composições, elaborada e até poética. Pode funcionar uma, duas, três vezes. Depois viram linhas vazias, pobres, para não dizer que são insultos que subestimam a inteligência emocional até dos que preferem não se desenvolver muito nessa “área”.

São torpedos, mensagens, emails… Sem toque nem olhar, sem calor, sem presença e sem as poucas palavras importantes olho no olho. Desculpas disfarçadas de impossibilidades. Nada se concretiza, apenas cria-se expectativas e aprofunda-se frustrações. Seria mais honesto libertar, mas parece ter alguma valia manter aprisionado um amor sincero. Faz mal só para quem aceita a algema e uma vida de ilusão.

O amor é o que o amor faz, não o que diz. Não se alimente de palavras, de migalhas, nunca.

obs.: Esse texto pertencia a versão antiga do blog, mas como algumas pessoas gostavam dele, aqui está de volta, publicado. 🙂

Anúncios

4 pensamentos sobre “Amor não se pede

  1. Nara disse:

    Sábias palavras. Migalhas? Nunca.

  2. Adriana disse:

    Mais um que amei! Incrível! Parabéns! bjo

Quero sua opinião! Fique a vontade...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s