Se permita!

nossa primeira orquidea_2

Escrever sobre o meu 2013 é impossível e nem vou me dar ao trabalho de tentar (rs). Entre as escolhas que fiz, está escolher o que é leve e leve hoje é apenas refletir em silêncio sobre o ano mais importante da minha vida, agradecer cada lição e cada momento em que fechei os olhos para sentir a felicidade correndo plena pelas minhas veias. Até o último dia desse fantástico ano, fiz a melhor coisa que alguém pode fazer por si mesmo: VIVER! 2013 me ensinou muito e me preparou para o melhor ano da minha vida: 2014!!! (como sei? eu sei e faz tempo)

Um dia, num post anterior, contei o que pedi nos primeiros minutos nos últimos 20 anos e hoje confesso a vocês que 2014 teve de mim um pedido diferente, do qual me lembrarei todos os dias e em cada decisão. A tal sabedoria que pedi sempre, agora tem uma missão na minha vida e é com ela que me dedicarei a cumprir e realizar os sonhos do meu coração.

Hoje desejo a você o que desejo a mim mesma: SE PERMITA!

Se permita ser feliz, amar, realizar, conquistar, sonhar… e faça isso tudo MUITO e INTENSAMENTE! Se algo te atrapalhar, tire da frente sem medo, derrube, encare, lute, vença. Se for preciso pedir ajuda pra liberar caminho para sua felicidade, peça e nem demore, porque o tempo é valioso e merece ser tratado como tal. A vida é sua, assim como todas as suas pequenas decisões diárias, e nem tente transferí-la para outras pessoas ou dar desculpas para se acomodar na tristeza. Respire, se posicione, tenha um sonho no coração e não pare nunca parar assistir sua própria vida passar. VIVA DE VERDADE!

Ah! Seja grato, inclusive pelos detalhes. Esse é um dos segredos da felicidade.

OBRIGADA, VIDA! Obrigada, 2013, pelos sorrisos e lágrimas e por toda oportunidade que me apresentou quando já tinha maturidade para dar o devido valor. Obrigada pelas valiosas amizades (todas – as novas e as eternas)… Obrigada pela felicidade, pelo aprendizado, pelo amor. Obrigada por me lembrar que a vida é cheia de surpresas maravilhosas e verdadeiros milagres.

2014, seja bem vindo! Faremos coisas incríveis juntos! 

Prefiro as coragens absurdas

ana_perfilTem coisa melhor do que ser surpreendida? Acho que não.

Posso dizer que meu aniversário, dos intensos 35 anos, foi uma grata surpresa! Não falo só de presentes, ligações e declarações, falo de um conjunto de momentos felizes e plenos, depois de tantos outros de lutas, conflitos e dúvidas.

Confesso que a ideia de completar 35 anos não me caiu bem de primeira. Me forçou a pensar, me fez voltar anos atrás – uns 9 pelo menos -, e repensar tudo. Muita coisa que a gente vive, que a gente escolhe, dá vontade de esquecer, não é? Com todo mundo é assim. Comigo não é diferente. O estranho mesmo era não estar curtindo fazer aniversário, como é o normal para mim. Estava doendo. Vai ver é culpa dos sonhos com prazo de validade ou da pressão do mundo que olha pra você o tempo todo e diz que parece ter 25! Sim sim… eu sei… isso é bom demais e reflete o meu coração que não tem nada de “velho”, mas o fato é que não tenho 25! rsrs Talvez aí o conflito se instalou.

Quanto ao numeral, 35 é bonito. Eu acho. Quanto a idade, me parece mais sublime do que os meus queridos 34, mais “redondo” diria (rs). Agora… ao olhar para o espelho penso que valeu chegar aos 35 exatamente como cheguei. Valeu cuidar bem de mim, cuidar do que é importante e essencial, amar e respeitar as pessoas do jeitinho que quero que façam comigo e tirar o que não me faz bem do meu caminho. Valeu aprender mais sobre mim e sobre as pessoas que quero do meu lado – não dá para escolher mal quem vai testemunhar nossa história, dá? Valeu valorizar o que penso e o poder que cultivo de repensar, revisitar, recomeçar sabendo que a vida é assim e que exige coragem de encarar oportunidades, não se esconder atrás de traumas e medos – não quero deixar de viver meu futuro por nada que aconteceu no passado. Aprendi também o valor de fazer o que realmente quero e não o que querem de mim. A vida andou, sabe?

Hoje agradeço, como agradeço todos os dias, por cada segundo de vida, cada sorriso escancarado ou discreto, e por cada lágrima que derramei. Fiz tudo com o coração, com sinceridade, até as bobagens. Até o que parece pequeno aos olhos dos desavisados, fiz com sentimento. Então… me arrepender de quê? De fazer de tudo pra ser feliz e tomar decisões a favor da felicidade dos que amo? Não, não me arrependo de nada.

Agora, quero mais é que venham os 35, os 36, os 40, os 80! Sou uma mulher melhor hoje, muito melhor no que era aos 20 ou 30 anos, e posso deixar a modéstia de lado porque nada me veio de graça e nunca parei de lutar. Tenho sim muitos sonhos a realizar, muitos projetos de vida para colocar em prática, tenho mais para descobrir em mim e não tenho  medo disso.

Para fechar, cito uma frase de Clarice:

Eu tenho medos bobos e coragens absurdas.

Prefiro, sempre, as coragens absurdas.